quarta-feira, 27 de julho de 2016

O pastor Hernandes ensina ERRADO

. 

A falta de sabedoria do pr. Hernandes Dias Lopes, da Igreja Presbiteriana, a respeito do Dia do Senhor bíblico.


O pastor Hernandes, como  a maioria dos pastores evangélicos, famosos ou não, também leva seu povo a grave erro bíblico, pois ENSINAR ERRADO É PIOR DO QUE ERRAR!

Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência aos papas romanos de tantos erros, servos de Satanás. Siga o Link::

http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27


A maioria dos pastores evangélicos ensinam que, após a Ressurreição de Jesus, os apóstolos levaram o povo a guardar o domingo. 

Raciocine, irmão: Como os cristãos da época dos apóstolos teriam se sujeitado a "abolir" os sábados sagrados sem que NENHUMA CONVOCAÇÃO A RESPEITO FOI ESCRITA PELOS EVANGELISTAS?


Se tivesse sido possível os cristãos abominarem os sábados a favor dos domingos,  praticando forte desobediência a Deus, certamente teria de ter havido uma CONVOCAÇÃO a respeito disso pelos apóstolos, MAS NÃO HÁ UMA SÓ LINHA NO EVANGELHO SOBRE ISSO!

Pergunto: quando os cristãos teriam passado a guardar o domingo, após a Ressurreição de Jesus?

  Uma semana depois?  Um mês depois?  Um ano depois?

Mas eu  mesmo vou responder: só aconteceu mais de TREZENTOS ANOS DEPOIS QUE JESUS SUBIU AO CÉU!!!   

Essa discussão constante sobre sábados e domingos como sendo o Dia do Senhor é de grande inutilidade, pois a verdade sobre isso é tão cristalina, tão esclarecedora e tão conclusiva que inviabiliza qualquer discussão a respeito.   Quer ver por quê?

Os apóstolos de Jesus e os demais cristãos da Igreja Primitiva jamais guardaram um só domingo, e provaremos agora:  Esse dia só começou a acontecer como “substituto” do sábado no ano 364 de nossa era, ou seja, 334 anos depois da Ressurreição de Jesus.  Portanto, somente mais de três séculos depois da Ressurreição de Jesus os cristãos passaram a desrespeitar o sábado promulgado por Deus no Monte Sinai, e mesmo assim obrigados.

“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.   Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.  Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:8-11

Pode-se discutir preceitos bíblicos, quando dão margem a mais de uma interpretação, mas NEGAR A HISTÓRIA  e as RAÍZES DA IGREJA, que também é História, isso não é possível, dentro da honestidade.

No Evangelho, não encontramos uma só linha que informe que o sábado viria a ser “substituído” pelo domingo da Ressurreição de Jesus (mesmo porque isso seria impossível),  mas a História nos revela que somente no ano 364 os cristãos foram obrigados a passar a guardar o tal domingo.

TUDO ACONTECEU EM LAODICÉIA.

LAODICÉIA foi uma das SETE Igrejas da Ásia citadas no Apocalipse, onde, futuramente,  no ano 364, por obra de Satanás, através dos Bispos de Roma, seus subservientes, que já habitavam os palácios dos reis, gozando a doce vida, sob pena de excomunhão e de severos castigos esses bispos, chamados papas pelo clero católico, obrigaram os cristãos a ingressarem em gravíssimo erro bíblico, segundo as Escrituras, como veremos abaixo:


E ao anjo da igreja de Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus.   Apocalipse 3:14

O bispo de Roma, Libório (Papa Libório pela marcação católica) convocou um concílio de nominado Concílio de Laodicéia para finalmente decretar uma proibição que já vinha sendo planejada e ensaiada havia tempos: A PROIBIÇÃO DO SÁBADO NA VIDA DOS CRISTÃOS, resultado do ódio contra os judeus, pois os bispos não aceitavam guardar o mesmo dia que os judeus.

O Cânon 29 do Concílio de Laodicéia decreta:

"Os cristãos não devem judaizar e ficar ociosos no sábado, mas trabalhar nesse dia; devem apenas honrar especialmente o dia do Senhor [domingo], e como cristãos, devem se possível, não trabalhar neste dia. Se, entretanto, eles forem encontrados judaizando, que sejam excomungados por Cristo".

A existência dos judeus é coisa perversa, venenosa e diabólica”.  “Queimem no inferno, é isso que merecem”.  “Os judeus são demônios”.  John Hagee, ‘Should Christians Support Israel? página 167.

Além de o resultado do Concílio de Laodicéia ter, finalmente, proibido o sábado na vida dos cristãos, o Papa Libório ainda decretou severos castigos e a excomunhão a qualquer cristão que ousasse desrespeitar o resultado do concílio.

Então, até um tolo pode concluir que se um Concílio foi criado exatamente para proibir todos os cristãos a continuar a guarda do sábado com vinha sendo guardado até o ano 364, ou seja, 332 anos após a Ressurreição de Jesus, não teria havido a necessidade desse Concílio em Laodicéia, se os cristãos já estivessem guardando o tal domingo desde a Ressurreição de Jesus, como querem os das doutrinas e tradições.

Mas na história do cristianismo sempre houve os remanescentes, os únicos da Bíblia, somente da Bíblia. Por isso mesmo, nem obrigados pelo Concílio e Laodicéia  não renegaram as promulgações de Deus para a guarda e santificação do sábado santo e abençoado, assim nomeado pelo Criador:

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

Jesus condenou os fariseus que rechaçavam a Palavra de Deus por conta das suas doutrinas e tradições. Mas hoje isso continua acontecendo por conta do desrespeito ao sábado, como se essa agressão a Deus pudesse ser algo normal, pois Católicos, Ortodoxos e Evangélicos preferem viver suas doutrinas e tradições,  não se importando, nem um pouco, em pisar sobre o Quarto Mandamento de Deus Pai que nunca muda em suas promulgações:

 Porque eu, o Senhor, não mudo”. O Senhor, em Malaquias 3:6.

“E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”.   Jesus, em Marcos 7:9.ão tiveram outra alternativa senão a de passar a guardar o tal domingo.

E assim, Satanás venceu os santos vivos , como estava profetizado:

"E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação".  Apocalipse 13:7.

Contra os domingueiros, usarei a Palavra de Deus que  revela, abaixo, Jesus santificando os sábados; a Igreja Primitiva santificando os sábados e até a Igreja do apóstolo Paulo, décadas após a Ressurreição de Jesus, levando quase toda a cidade a louvar aos sábados (e nunca um só domingo)

Mostraremos, abaixo, Segundo a Verdade de Deus, Jesus santificando os sábados, como também toda a Igreja Primitiva até aos tempos do apóstolo Paulo, décadas após a Ressurreição de Jesus.

Vamos a um argumento bíblico, extremamente forte, que revela a alta fragilidade do tal domingo, inventado pelo papado romano nada santo, para "substituir", no Evangelho o sábado.

Não teria como haver discussões sobre o tal domingo dos homens ou o sábado das Escrituras, se os pastores domingueiros não se apegassem na suposição de que logo após a Ressurreição de Jesus Cristo, os apóstolos levaram a Igreja Primitiva a guardar o domingo, rejeitando o santo e abençoado sábado, assim chamado por Deus Pai.

Apenas suposições, pois não há uma só revelação confiável a respeito da falência do sábado no Evangelho que coloque os apóstolos levando o povo a abandonar sua prática secular de louvar aos sábados.

Mas quanto á santificação do sábado as revelações são diversas, diretas e indesmentíveis que nos mostram Jesus, seus apóstolos e todos os cristãos guardando e santificando os sábados. 

Esses pastores em sua débil sabedoria, que pretendem fazer Deus Pai riscar das Rochas Sagradas o seu Quarto Mandamento, invocando presumíveis indícios, na ótica deles, de que os apóstolos guardavam os sábados, se apegando tristemente em Atos 20:7 e 1 Coríntios 16:2, como se tais versos tivessem minimamente uma força para fazer Deus Mudar, trocando o sábado pelo domingo, quando ele mesmo revelou que NÃO MUDA de jeito nenhum, como nunca mudou em suas promulgações a Adão e Eva, cujos castigos respingam em nós outros até hoje.

Porque eu, o Senhor, não mudo;   Malaquias 3:6.

Se os irmãos abrirem o blog abaixo colocado, certamente tomará conhecimento de que o Senhor Deus criou um Evento fenomenal ao limite, absolutamente espetacular, justamente para chamar as atenção da Humanidade sobre a tremenda importância da promulgação de suas 10 leis, resumidas, mas perfeitamente precisas pela compreensão humana.


http://oincriveleventomontesinai.blogspot.com.br/

Com respeito ao Monte Sinai, temos de ter em conta que o Senhor Deus sempre esteve a propagar suas vontades através de seus profetas, mas de tanta importância que ele atribuiu às suas 10 leis, pela primeira e última vez ele, o Senhor, AS ESCREVEU PESSOALMENTE e ainda as fundiu nas rochas duras para que jamais de apagassem, pois papiros se dissolvem.


“Vai, pois, escreve isto numa tabuinha perante eles; escreve-o num livro, para que fique registrado para os dias vindouros, para sempre, perpetuamente”.  Isaías 30:8.

A respeito da revelação acima, aos domingueiros, eu mando um recado:

Se o Senhor Deus determinou ser perpétuo uma de suas revelações ao povo através de seu profeta Isaías, imagine, então, quão perpétuo é o seu Decálogo do Monte Sinai promulgado para toda a Humanidade e desta vez ESCRITO PELO PRÓPRIO CRIADOR!

Existem vários documentos, assim como na Wikipedia, que exibem a listagem dos papas e seus concílios. Por eles, tomaremos conhecimento do Concílio de Laodiceia, votado e assinado pelo bispo maior, da época, chamado de Papa Liberio (não Libório) pelo Vaticano. 

Deixem de lado um pouco suas doutrinas a respeito do tal domingo e esqueçam o que aprenderam dos pastores e Raciocinem, irmãos:

Se o Papa Libório (contagem católica), no ano 364 de nossa era, convocou um Concílio com o intuito específico de proibir a prática cristã da guarda do sábado, é facílimo de entender que os cristãos guardaram o sábado pelo menos até a decisão desse Concílio, de outra forma, não teria sido necessário a convocação desse Concílio e a decretação de severos castigos aos que teimassem em continuar a guardar o sábado.

Então, SOMENTE ESSE DADO HISTÓRICO,  que não pode ser desmentido, PROVA A GRANDE MENTIRA DOS QUE DEFENDEM QUE OS APÓSTOLOS DE JESUS GUARDAVAM O DOMINGO!

O Concílio de Laodiceia foi convocado no ano 364 de Jesus Cristo, exatamente para deliberar sobre sábados e domingos. Nos concílios anteriores, em cada um deles, ardilosamente, o sábado vinha sendo diminuído  em importância e o domingo exaltado  cada vez mais, com a desculpa de ser nesse dia que Cristo havia ressuscitado. Então, o Xeque Mate da “exclusão” do sábado do Monte Sinai finalmente deu lugar ao tal domingo, pois os bispos e cardeais votaram a favor da (impossível) troca do Dia do Senhor.

 "Os cristãos não devem judaizar e ficar ociosos no sábado, mas trabalhar nesse dia; devem apenas honrar especialmente o dia do Senhor [domingo], e como cristãos, devem se possível, não trabalhar neste dia. Se, entretanto, eles forem encontrados judaizando, que sejam excomungados por Cristo".  Canon 29, decretado pelo Papa Libório pelo Concílio de Laodicéia, o que prova que ordenou, à força, a troca do sábado pelo domingo por puro ódio aos judeus.

Esse Concílio de Laodiceia não somente proibiu a santificação do sábado, mas também determinou severas perseguições a qualquer cristão que ousasse enfrentar o clero desobedecendo o resultado do tal Concílio.

Então vamos à grande mentira do tal domingo ser guardado pelos apóstolos no Evangelho, no os domingueiros se apegam apenas em suposições, sem fundo algum de Verdade Bíblica:

Pela História Universal e até pelas raízes da Igreja na qual exista a listagem da Relação dos papas havidos, mesmo que seja ela contagem católica, nos revela que o sábado só passou a ser “substituído” pelo domingo após o resultado do Concílio de Laodicéia, no ano 364, assinado pelo Papa Libério e que ainda foi decretado severas perseguições a quem ousasse continuar a guardar o sábado. Portanto, só isso desmente os domingueiros que afirmam que após a Ressurreição de Jesus, os apóstolos passaram a guardar p tal domingo.

Mas felizmente, na História do Cristianismo, sempre houveram os REMANESCENTES, os que rejeitavam qualquer texto doutrinário que não se fundamentasse perfeitamente na Palavra de Deus Escrita e a despeito dos castigos prometidos aos que desobedecessem ao resultado do Concílio de Laodicéia, continuaram a guardar e a santificar o DIA DO SENHOR, O SÁBADO.

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

Repetindo pela importância:  Ora, se a proibição de se guardar o sábado a favor do tal domingo SÓ ACONTECEU NO ANO 364 de nossa era, como os fariseus domingueiros podem alegar que aconteceu logo após a morte de Jesus?

Ora, se os cristãos já guardavam o sábado logo após a Ressurreição de Jesus, não haveria a necessidade de um Concílio Oficial, mais de três séculos depois, para proibir o descanso aos sábados e perseguições aos desobedientes. 

Portanto, por mais que venham com “argumentos” a favor do tal domingo, tais como as suposições colocadas em: Atos 20:7 e 1 Coríntios 16:2, nada poderão com a Verdade do ano 364, pois só nesse ano o sábado foi "deletado" do meio cristão. 

Então,  como o próprio Evangelho revela que 
JESUS, SUA IGREJA, SEUS APÓSTOLOS E ATÉ A IGREJA DO APÓSTOLO PAULO SANTIFICAVAM OS SÁBADOS E JAMAIS UM SÓ DOMINGO, o sábado é para sempre.

Sobretudo, se após a Ressurreição de Jesus os apóstolos tivessem realizado um feito quase impossível, que seria quebrar a mais que secular tradição dos israelitas cristãos para abandonar a solene santificação do sábado, seja qual tivesse sido o motivo exposto, sabendo-se que os fariseus, doutores da lei, os príncipes do templo certamente teriam realizado altos protestos e a ira deles teria caído sobre os apóstolos a ponto até de arrastá-los para fora da cidade e apedrejá-los, assim como, POR MUITO MENOS, arrastaram o apóstolo Paulo para fora da cidade e o apedrejaram quase até à morte, então essa história da troca do sábado para o domingo no Evangelho é conversa de tolos, de fariseus e de hipócritas.

No EVANGELHO DA VERDADE DE DEUS PAI, foi registrado e escrito pelos quatro evangelistas o simples fato de os fariseus se irritarem com os apóstolos de Jesus que comiam sem lavar as mãos, por isso, até tolo concluirá que se tivesse havido um movimento dos apóstolos de Jesus contra o sábado, por conta da Ressurreição de Jesus, pela alta gravidade do assunto --, pois isso estaria a agredir a Vontade de Deus e a tradição israelita de muitos e muitos séculos --, os cristãos judeus, que eram a maioria inicial do cristianismo, não permitiriam, de modo algum, a tal troca do sábado pelo domingo, e digo mais: se os apóstolos apenas tivessem SUGERIDO essa troca nada bíblica, as revoltas dos fariseus que se sucederiam,  por causa de alto escândalo por conta do sábado e domingo, O EVANGELHO TERIA DE TER REGISTRADO ESSE FATO. MAS NÃO HÁ UMA SÓ PALAVRA A RESPEITO DA TROCA DO SÁBADO PELO DOMINGO.

Completando, se os apóstolos de Jesus tivessem conseguido o grande feito de levar o povo cristão a renegar os sábados (impossível), tal fato, pela imensa importância, o assunto teria de passar por várias reuniões e, mesmo sem a participação dos fariseus, os protestos dentro do grupo cristãos teriam de estar registrados no Evangelho, além de registrar uma fase de TRANSIÇÃO.  Mas essa transição nunca houve, pois NÃO ESTÁ ESCRITO!

Mas a Verdade é bem diferente do que os domingueiros ensinam e praticam, pois Está Escrito que todos os cristãos, os apóstolos, a Igreja Primitiva de Jesus santificavam os sábados santos e abençoados por Deus Pai:

Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor, praticando o exemplo de Jesus:

 “E, chegando a Nazaré, onde fora criado, (Jesus) entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”.    Lucas 4:16.   Jesus, nos concedendo o exemplo.

Quanto a essa revelação, o domingueiro pastor Hernandes Dias Lopes me veio com essa: "Ora, Jesus se apresentava na templo ao sábados porque era nesse dia que ele encontrava os judeus para evangelizá-los".  Digo que é até triste ver um argumento desse, pois Jesus vivia todos os dias em meio às multidões de judeus e de outros povos e de fato os evangelizava, e isso prova que jamais se relegava somente sob o teto do templo.  Sobretudo, eu pergunto:   De que forma diferente o Espírito Santo de Deus teria feito escrever quando nos mostrou Jesus santificando os sábados para nos dar o exemplo:  ORA, DA MESMA MANEIRA COMO ESTÁ REGISTRADO em Lucas 4:16.

O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo, observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei”.  Lucas 23:55 - 56.  A Igreja de Jesus, nos concedendo o exemplo.

Então, Jesus ensinou sua Igreja a ser também legalista!  Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, mesmo depois da ressurreição de Jesus os cristãos de Paulo faziam do sábado um dia de culto e louvor:

No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13. 

Esse preceito revela, com toda clareza, de modo irrefutável, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!  Mas fariseus de quase todas as denominações, também católicos e ortodoxos alegam que a Igreja de Jesus santificava o tal domingo. É possível uma tolice dessas com tantas Verdades indiscutíveis a favor do sábado?

“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 

Se os judeus encheram-se de inveja por ver quase toda a cidade a louvar os sábados  ao AR LIVRE, pois não caberia nem num grande templo, então não se tratava, indiscutivelmente de uma reunião judia aos sábados, mas sim de um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado.  A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelar-nos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus Imutável:

 A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir, exatamente para nos revelar que o sábado sempre será o Dia do Senhor.

 “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.  

Os defensores do domingo, inventado, argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois pela sua tradição jamais aceitariam que gentios pagãos - no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo aceitavam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas também aos gentios e aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás.

Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:

“Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como uma jornada de sábado...”.  Atos 1:12.           Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.

 “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”. 

 Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível  carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70/73, no episódio Massada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.

Então, entendam os irmãos que nós não colocamos acima apenas meras suposições (tais como Atos 20:7 e 1 Coríntios 16:2), mas PROVAMOS, segundo a Palavra Viva de Deus que coloca como observadores do sábado  tanto Jesus Cristo, como sua Igreja. como seus apóstolos e até décadas após a Ressurreição de Jesus com o santo em vida apóstolo Paulo que falava e agia iluminado pelo Espírito Santo de Deus levando toda a sua Igreja, e quase toda a cidade a louvar aos sábados!

Eu me preocupo muito com o sábado, o dia bíblico do Senhor, pois ele jamais revogou o sábado, pois se o tivesse revogado, essa "nova revelação" teria de estar bem clara e contundente no Evangelho, mas não há uma linha sequer que, nem por sonhos, atente contra o sábado SANTO E BENDITO, assim mesmo nomeado por ele.

Mas os fariseus do domingo tentam, de todas as formas, rejeitar o santo sábado do Senhor em suas doutrinas assim como o pr. Hernandes Dias Lopes, que chegou ao absurdo de interpretar, a seu modo, os preceitos sabáticos que coloquei acima, provando que a Igreja Primitiva santificava todos os sábados, de modo a não dão margens para duplas interpretações. Em suas tentativas de abolir o sábado cravado nas Rochas Sagradas das Leis para que nunca se apagassem, atribuiu verdades bíblicas sobre o sábado lhe mostradas no Evangelho como reles mentiras, interpretando agressivamente, sem nexo, dando uma "enrolada" fenomenal quando se viu sem saída.


 O papado romano de Satanás (e o é hoje) "aboliu" os dois mais amados mandamentos de Deus, mas os evangélicos, em sua maioria, inexplicavelmente, mostrando-se subservientes ao papado romano e por tabela a Satanás, tentam fazer um Deus que nunca muda em suas promulgações à Humanidade, mudar, pois por eles Deus teria "se arrependido" de promulgar e propagar o Mandamento do sábado, assim como Jesus o promulgou no Sermão do Monte em Mateus 5:17 a 28, por conta da Ressurreição de Jesus, que não foi um dia tão importante assim, pois importante foi o dia de sua MORTE NA CRUZ quando redimiu a Humanidade, habilitando a todos os que merecerem a um lugar no Reino de Deus no Grande Dia da Volta de Jesus, quando, então, serão abertos os portais do Céu.


Vejam porque a bondade de Deus foi revelada mais uma vez ao nos brindar com seus 10 mandamentos:



Segundo as Escrituras, a importância que o Senhor Deus atribuiu ao Decálogo foi tão extensa, grandiosa, sublime, marcante, extraordinária que, diferente de seus procedimentos anteriores quando ordenava a seus profetas escreverem suas palavras para a posteridade, desta vez ele fez questão de escrever, pessoalmente, também para a posteridade, nos altos de um monte (Êxodo19:18), num espetáculo indescritível, não nos papiros que se dissolvem, mas com o fogo de seu olhar, com palavras cravadas, fundidas profundamente em rochas sólidas para que nunca se apagassem, todas as suas leis, uma a uma, regulamentos resumidos, mas absolutamente perfeitos e suficientes para nortear o homem em suas ações, concedendo à Humanidade a grande e maravilhosa chance de viver sem problemas, sem tribulações,  .pois se todos obedecessem a todas as leis do Decálogo, os seres humanos estariam a viver num mundo de sonhos: todos se respeitariam, não haveria criminosos, nem a necessidade de grades, de trancas, de polícia, de exércitos armados e de qualquer tipo de armas  e artefatos feitos para conflitos e guerras, o mundo seria muito mais saudável, não haveria pobres muito pobres, como também o Senhor Deus seria muito mais honrado e glorificado e, certamente,  a paz sobreviria sobre a Terra inteira.    Se todos obedecessem a Deus Pai na guarda de seus mandamentos, o mundo voltaria a ser o Paraíso Terrestre, maravilhoso, a Terra dos sonhos, sem conflitos e guerras, sem armas, sem confrontos e todas as demais características de um lugar se sonhos! Por isso, Jesus disse ao Jovem Rico, ao qual ensinou em poucas palavras como se salvar na Eternidade:

"E Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom senão um, que é Deus".   Marcos 10:18.

Outra característica que prova, mais uma vez, porque Deus é bom está em Ezequiel 20:21 e 22.

Escrevi ao pastor: “Meu caro Pastor Hernandes Dias Lopes. Entrei em seu site e li, por várias vezes e com muita atenção, um de  seus escritos. Mas sendo eu ferrenho leitor do Evangelho, que muito medita e raciocina e jamais se atém a versos isolados e à doutrinas várias, não consegui atinar com suas colocações que não têm nenhum fundamento no Evangelho. Por uma delas, logo na capa do seu site, o senhor colocou uma observação como se fosse bíblica, mas que é um grande engano, pois não consta na Bíblia”:

“É claro que os cristãos, desde os apóstolos, passaram a observar o domingo, O Dia do Senhor”.

 O Que? É claro? Quando? Onde? Como?  É claro como? 

A partir de quando os apóstolos passaram a observar o domingo? 

Aonde tal coisa Está Escrita?

Como não Está Escrito em lugar algum do Evangelho, com tal declaração o nobre pastor colocou Jesus Cristo como um mero incoerente. Não? SIM: vejamos Jesus consolidar o sábado também no Evangelho:

O sábado foi estabelecido por causa do homem...” . A Verdade de Jesus, no Evangelho, em Marcos 2:28.  Onde está o tal domingo?

A palavra DOMINGO, vem do latim "Dies Dominicus", e era dia de festa dos romanos que o tinham como DIA DO SOL, astro esse muito venerado pelos romanos.

Portanto, a palavra DOMINGO não existe na Bíblia por inteira. Mas os papas romanos, aliando a fidelidade a Constantino, ao Dia do Sol romano mais a desculpa pela Ressurreição de Jesus num domingo, através do Concílio de Laodicéia, ano 364, o papa Libório (denominação católica)  a abolição do sábado santo e abençoado, assim chamado por Deus Pai, perdendo lugar para o tal domingo.  

Mas essa palavra DOMINGO,  não encontraremos na Bíblia, desde Gênesis ao Apocalipse. No Evangelho encontraremos as palavras “No primeiro dia da semana”, mas não domingo,  pois isso foi invenção do papado romano nada santo, apesar de que nas bíblias modernas católicas os clérigos inseriam lá a palavra domingo como o “Dia do Senhor”, ingressando nas maldições constantes no Apocalipse 22:19 e 19 a quem ousar acrescentar ou retirar qualquer adendo à Palavra de Deus Escrita. 

Mas notem como o mundo está se corrompendo até na parte espiritual:

Nem nos seis séculos da atroz Inquisição Católica, na qual papas e frades se revelaram verdadeiros seguidores de Satanás, assassinando centenas de milhares de pessoas e, nessa época detendo eles a Bíblia, NÃO CONSEGUIRAM MUDAR UM SÓ TEXTO BÍBLICO, mesmo tendo autoridade mundial e mesmo jugando-se Deus na Terra, pois se mudaram as leis de Deus em seu catecismo, não usaram seu poder terreno para corromper as Escrituras, mudando textos que poderiam lhes interessar, MAS HOJE, com Satanás continuando a agir, agora de forma mais contundente, o clero católico está mudando textos bíblicos na impressão de suas novas bíblias.

Hoje, em algumas das bíblias modernas o clero "apagou" a seguinte revelação no Apocalipse 1:10: 

"NO DIA DO SENHOR TIVE UM SONHO". 

E em suas novas bíblias está escrito:

"NUM DIA DE DOMINGO TIVE UM SONHO".

Certamente as maldições do Senhor Deus a quem mudar qualquer escrito bíblico recairão sobre os responsáveis dessa tremenda agressão à Palavra Viva de Deus:


“Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;    e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro”.  Apocalipse 18:21-22

Então, como citei, Satanás continua regendo o clero católico como um todo.

 Ainda, pelo Concílio de Laodicéia, o papado romano decretou severas perseguições  a todos os cristãos que ousassem continuar a guardar os sábados.

Mas havia os REMANESCENTES, os da Bíblia, somente e unicamente da Bíblia, que sempre tiveram parte ativa na preservação do verdadeiro cristianismo, e isso acontece até hoje e acontecerá até a Consumação dos séculos. Mas com certeza o pastor Hernandes está fora do grupo dos remanescentes, pois agride a palavra de Deus quanto ao Sétimo dia.

Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.  Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.   Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.  Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:8-11

Vede: Proponho-vos hoje  Bênção ou Maldição.  Bênção se obedecerdes aos mandamentos do Senhor. Maldição se não obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus...   O Senhor, em Deuteronômio,   11.26

“Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para não cuidares em cumprir TODOS os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão”.  Deuteronômio 28:15 



Sendo Deus imutável em suas promulgações, sendo ele Perfeito e altamente Coerente,  onde está registrado, no Evangelho, essa incrível crença que mostra um Deus e Senhor "arrependido" de ter ter cravado nas Rochas Sagradas das Leis o Mandamento do Sábado?

O Senhor Deus conhece o futuro? Sim, mesmo porque ele mesmo o cria, e assim poderia se supor que, por conhecer o futuro, não teria levado em conta que a Ressurreição de Jesus aconteceria num domingo e, dessa forma, teria de "corrigir o seu erro" lixando, extirpando, anulando completamente das Rochas Sagradas das Leis o seu mandamento mais amado, criado ainda na fundação do mundo para o homem, como revelou Jesus?

Agora vamos conhecer a grandiosa e incontestável prova de que os apóstolos de Jesus sempre guardaram os sábados e nunca um só domingo.      Confira!

Atenção agora, irmão, Irmã: uma das provas altamente contundente e absolutamente inegável que exibe os apóstolos de Jesus guardando e santificando os sábados de Deus --- e nunca um só domingo  -- se dá pela própria Verdade bíblica que jamais pode ser contestada. Se você meditar, com calma, raciocinando sobre todos os acontecimentos que envolveram os problemas criados entre os judeus da tradição contra Jesus e seus apóstolos, verá que qualquer fato que atentasse contra a tradição israelita, o Evangelho registrava claramente os protestos israelitas que eram fortes e constantes, como mostraremos abaixo.

Pela tradição da santificação do sábado, Jesus foi o maior alvo dos chefes do templo, que por isso mesmo o perseguiram mortalmente, e só não conseguiram executá-lo por suposto desrespeito aos sábados, porque o Evangelho revela que ainda não havia chegado a sua hora,  mesmo Jesus tendo respondido a todos eles – e a nós outros – e  a todos e os pastores evangélicos, clérigos católicos e ortodoxos, que apenas APARENTAVA que ele, o Cristo de Deus Vivo, desrespeitava, violava os sábados.

“Se um homem pode ser circundado num sábado, para que a Lei de Moisés não seja violada, por que vos indignais contra mim, pelo fato de eu ter curado num sábado, ao todo, um homem? NÃO JULGUEIS PELA APARÊNCIAmas, sim, pela reta Justiça”.  Jesus em João, 7.23 e 24


Agora, vamos à Verdade bíblica que nos revela a total e completa impossibilidade de um só dos apóstolos ter desrespeitado,  ter violado um só Sábado Santo e Abençoado de Deus, assim como o Senhor ele o nomeou.

Mas, para bem entender a revelação abaixo, assim como todas as revelações bíblicas, é necessário raciocinar. Mas essa colocação é tão cristalina, tão evidente, tão esclarecedora e conclusiva que não é necessário nenhum esforço de raciocínio para abraçar a Verdade que revela que para o Senhor Deus o sábado é para sempre. Vamos a ela:


  Existe, no Evangelho, uma grandiosa revelação que não foi escrita, mas é facilmente compreendida. Confira.

.

PREFÁCIO:

A TRANSIÇÃO DA GUARDA DO SÁBADO PARA O DOMINGO.

Aos amigos domingueiros eu pergunto novamente:

Aos que julgam que a Ressurreição de Jesus foi motivo para acabar com os santos e solenes sábados do Senhor, se isso pudesse acontecer,  quando se passou a TRANSIÇÃO do sábado para o domingo? 

Um evento desse porte, de suma importância, pois envolveria a Desobediência proposital  a um dos Mandamentos de Deus, e pela mais que secular tradição da guarda do sábado, sacratíssimo para os judeus  cristãos que formavam a maioria da Igreja Primitiva de Jesus, não haveria como não ter um período de TRANSIÇÃO! É ou não é? 

 Todos os cristãos judeus e não judeus teriam aceitado passivamente o corte do mandamento do sábado?

A TRANSIÇÃO TERIA ACONTECIDO  no sábado seguinte à ressurreição de Jesus?

Em seus 40 dias sobre a Terra após a sua Ressurreição, Jesus teria dito algo sobre a troca do sábado para o domingo? 

Ora, convenhamos, por ser o assunto sábado, que envolveria A DESOBEDIÊNCIA GRAVE A DEUS PAI, certamente Jesus não teria ficado de fora. 

O domingo teria passado a substituir o sábado logo após Jesus ter deixado a Terra?

Uma semana depois?

 Um mês depois? 

Um ano depois?  

Eu mesmo respondo: NUNCA!!! 

Nunca houve transição alguma, pois se a História da Igreja registra que os cristãos guardavam o sábado PELO MENOS ATÉ O ANO 364 depois de Cristo, e que por ódio dos judeus o clero resolveu, pelo Concílio de Laodicéia e assinado pelo Papa Libório, um decreto que proibiu, de modo absolutamente irrevogável, irretratável e irreversível, a guarda do sábado a favor do domingo, e ainda decretou castigos aos que teimassem em continuar sabatistas NÃO HOUVE TRANSIÇÃO ALGUMA APÓS A RESSURREIÇÃO DE JESUS!!!

Então os cristãos da Igreja Primitiva continuaram a guardar os sábados até o ano 364.

Foi aí, sim, no ano 364, logo após a determinação do Concílio de Laodicéia que houve a TRANSIÇÃO, certamente orquestrada pelo próprio Satanás que conseguiu seu maior feito: "Riscar" das Rochas Sagradas das leis de Deus o seu mais amado mandamento, nomeado por ele como Santo e Bendito e ainda instituído como UM SINAL entre ele e a Humanidade, já que Está Escrito que não faz distinção de pessoas ou de raças, pois todos são iguais perante ele:  Romanos 10:12.  Romanos 2:11.   Atos 10:34.  Atos 3:24  Efésios 2:14.

 Então, domingueiros, essa história de que os apóstolos de Jesus santificavam os sábados está mais furada que uma peneira de arames bem finos e bem separados.


O apóstolo Paulo, décadas após a Ressurreição de Jesus:

“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 
Se os judeus encheram-se de inveja por ver quase toda a cidade a louvar os sábados  ao AR LIVRE, pois não caberia nem num grande templo, então não se tratava, indiscutivelmente de uma reunião judia aos sábados, mas sim de um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado.  A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelar-nos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus Imutável.  

Vamos ao Tema deste Blog: Uma Verdade não Escrita no Evangelho:

Há uma fortíssima revelação no Evangelho, muito importante, que não concede refutação alguma  -- se estiver presente a honestidade --, que NÃO ESTÁ ESCRITA, mas que é altamente reveladora, que indiscutivelmente PROVA biblicamente que o tal domingo nunca existiu no Evangelho como Dia de Guarda e Santificação.

 Basta RACIOCINAR para entender essa Verdade. E essa colocação é tão cristalina, tão evidente, tão esclarecedora e conclusiva que não é necessário nenhum esforço de raciocínio para abraçar a Verdade que revela que para o Senhor Deus o sábado é para sempre. Vamos a ela:

 A Verdade de Deus no Evangelho nos mostra que os judeus, em geral, principalmente os fariseus, escribas  e príncipes do templo não aceitavam, em hipótese alguma, agressões à sua mais que secular tradição. Por isso, os fariseus se rebelaram quando notaram os apóstolos de Jesus tomar as refeições sem que antes lavassem as mãos. E isso ficou registrado no Evangelho.

 Os fariseus protestaram forte apenas pelo fato de os apóstolos de Jesus tomarem as refeições sem lavar as mãos, e isso ficou registrado no Evangelho,    assim também como ficou registrado no Evangelho o protesto dos fariseus quando perceberam que num sábado os apóstolos de Jesus colhiam espigas para matar a fome, então,  por conta disso,  imagine, então, os fortes protestos e as terríveis consequências que certamente teriam acontecido se os apóstolos de Jesus tivessem apenas ousado sugerir que a partir da Ressurreição de Jesus o sábado seria trocado pelo domingo.   

Mas isso só veio a acontecer quando o clero de Satanás, na pessoa de seu papa Libório, pelo Concílio de Laodicéia, ano 364,  por puro ódio dos judeus proibiram o sábado  a favor do tal domingo e ainda decretaram perseguições a todo aquele que teimasse continuar com o sábado.

 "Os cristãos não devem judaizar e ficar ociosos no sábado, mas trabalhar nesse dia; devem apenas honrar especialmente o dia do Senhor [domingo], e como cristãos, devem se possível, não trabalhar neste dia. Se, entretanto, eles forem encontrados judaizando, que sejam excomungados por Cristo". Canon 29, decretado pelo Papa Libório pelo Concílio de Laodicéia, o que prova que ordenou. à força, a troca do sábado pelo domingo por puro ódio aos judeus.

 Se apenas um só dos apóstolos sugerisse que o sábado "já era"  teria provocado  um escândalo de tamanha proporção que certamente estaria devidamente registrado nas Escrituras, pois nos revelaria fortíssimas revoltas judias, uma verdadeira revolução religiosa que poderia até ter ocasionado mortes. 


Raciocine, irmão: Como os cristãos da época dos apóstolos teriam se sujeitado a "abolir" os sábados sagrados sem que NENHUMA CONVOCAÇÃO A RESPEITO FOI ESCRITA PELOS EVANGELISTAS?

Se tivesse sido possível os cristãos abominarem os sábados a favor dos domingos,  praticando forte desobediência a Deus, certamente teria de ter havido uma CONVOCAÇÃO a respeito disso pelos apóstolos, MAS NÃO HÁ UMA SÓ LINHA NO EVANGELHO SOBRE ISSO!

 Segundo a tradição israelita, se qualquer um dos  apóstolos tivesse apenas sugerido tal mudança insensata, absolutamente inconsequente -- segundo Jesus em Mateus, 5.17 até 28 --, teria sido arrastado pelas ruas e apedrejado em praça pública por uma multidão enfurecida, pois por muito menos apedrejaram Estêvão e perseguiram Jesus jurando-o de morte, apenas por ter curado num sábado e por ter-se identificado como o Filho de Deus vivo. Ou será que você acha que não? Medite sobre isso, meu amado irmão!

Então, se não há um só registro de graves protestos contra um só dos apóstolos de Jesus por ensinar ou apenas por sugerir que o tal domingo viera a substituir o sábado e, apenas por isso,  facilmente se entende que NUNCA EXISTIU O TAL DOMINGO NO EVANGELHO como o Dia do Senhor, nem jamais poderia, pois Jesus bradou que o Universo inteiro e os céus poderão ser destruídos antes que das leis do Pai se consiga retirar um simples til, mas os fariseus modernos e até hipócritas, incrivelmente se opondo a Jesus e sua Verdade, pretendem retirar das leis de Deus os 405 caracteres que formam o Quarto Mandamento do Sétimo Dia.  

Sobretudo, é o único Mandamento nomeado pelo Criador como Santo e Abençoado, e ainda instituído como Um Sinal entre Deus Pai e a Humanidade, já que está bastante repetido no Evangelho que ele, o Senhor, não faz distinção de pessoas, pois todos são iguais perante ele.

 O apóstolo Paulo foi alvo dessa fúria judia e quase foi morto por isso, mas essa revolta judia NÃO aconteceu por ensinar contra o sábado, pois se isso tivesse acontecido, fatalmente Paulo teria sido linchado, tal como o apedrejaram noutra ocasião (Atos 14:19) apenas pelo fato de ter curado um lesionado dos pés e coxo (Atos 14:8).

Esse escândalo dos fariseus aconteceu  porque Paulo ousava ensinar uma doutrina que se opunha às leis da tradição israelita, de seus pais, tal como a Circuncisão da carne, os sacrifícios de animais nos templos, a lei da segregação racial, a lei da morte a pedradas, a lei do chicote e outras ordenanças que não tiveram lugar no Evangelho da Graça, pois se isso tivesse acontecido, por serem leis escravas, inviabilizariam a Religião da Graça e da Liberdade de Jesus.

   Repetindo: depois que os apóstolos de Jesus receberam Labaredas de Fogo do Espírito Santo de Deus eles perderam o medo de qualquer homem da Terra inteira. Ora, então por que o senhor não levou essa grandiosidade em conta? Ora, meu caro bispo, o seu cristianismo não representa Verdade de Deus!”.  O bispo silenciou.

 A Verdade está revelada, por isso raciocinem, irmãos, e não ajam como os fariseus modernos que bloqueiam as suas consciências e anestesiam as suas mentes na repulsa satânica contra os sábados santos. Se raciocinarem com honestidade, facilmente concluirão que não há a mínima possibilidade  de a  Igreja de Jesus ter violado um só Sábado Santo e Abençoado de Deus, como Está Escrito.

Quem precisa de mais que isso para inteirar-se de que o Sábado é para sempre?




Então, Jesus ensinou sua Igreja a ser também legalista!  Já colocamos acima as provas bíblicas que colocam a Igreja de Jesus e até aos tempos de Paulo santificando todos os sábados e nunca um só domingo.

 O sábado foi estabelecido por causa do homem...”  Jesus, em Marcos 2:28.  Essa Verdade, por ser direta, conclusiva e específica, não há como corromper sem se ingressar na hipocrisia.  Até hoje o nobre pastor Hernandes não conseguiu refutar essa colocação bíblica DIRETA E CONCLUSIVA, pois se tentasse, agrediria gravemente o Espírito Santo de Deus que falava por Jesus Cristo.

Inicialmente, vejamos apenas uma parte dos exemplos citados acima.

Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, mesmo depois da ressurreição de Jesus os cristãos de Paulo faziam do sábado um dia de culto e louvor, na Igreja de Deus, sem teto e sem paredes, Verdade essa bem cristalina, mas o pastor Hernani tentou corromper:

“No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13. 

Esse preceito revela, com toda clareza, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!

Mas o nobre pastor Hernandes "conseguiu"  "remover" do Evangelho também essa Verdade.

“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44.  Também essa Verdade direta e cristalina o pastor Hernani tentou corromper com sua lenga-lenga do tal domingo que não existe de modo claro, direto e consistente no Evangelho.

Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, pois aconteceu ao ar livre, junto a um rio, pois é evidente que, quase toda a cidade não caberia num salão ou num templo, então, está claro que essa reunião, para adoração, no santo dia do Senhor, foi realizada ao ar livre.

 Tratou-se de um culto cristão sem teto, nem paredes, que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado.  A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelar-nos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus Imutável


Mas por incrível que possa parecer, o nobre pastor Hernandes "conseguiu"  "remover" do Evangelho também essa Verdade, que revela de modo direto e conclusivo que o  apóstolo Paulo reuniu quase toda a cidade para louvar aos sábados, pois se a cidade toda estava de folga, isso se deu por conta da observação do sábado, pois o domingo na época era como uma segunda-feira de hoje.

 “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.  

Os defensores do domingo, nos quais se insere o pr. Hernandes, inventando, argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois pela sua tradição os judeus jamais teriam aceitado que gentios pagãos - no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo aceitavam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas também aos gentios e aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás.

Mas o nobre pastor Hernandes "conseguiu"  "remover" do Evangelho também essa Verdade.

Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:

“Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como a uma jornada de sábado....  Atos 1:12.           

Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.  Ora, o tal domingo não foi citado, mas sim o sábado de Deus, tradição mais que secular.

 “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”. 

Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível  carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Masada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.

Jesus nos mostra que o sábado foi criado para o homem:

“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; 

Sabendo-se, raciocinando, que o Senhor Deus conhece o futuro (pois ele mesmo o pode criar) então é certo que saberia de antemão, ao cravar nas Rochas Sagradas das Leis o Quarto Mandamento, chamado por ele de Santo e Bendito, e instituído como Um Sinal entre ele e a Humanidade, já que também Está Escrito que Deus não faz distinção de pessoas ou de raças, e ainda Está Escrito em Efésios, capítulo 2, que a parede que nos separava dos israelitas foi derrubada e, para completar, o santo em vida, o apóstolo Paulo, nos revelou que somos os diretos herdeiros dos israelitas (Atos 3:24 – 25)

Então, completando o meu pensamento, como o Senhor Deus sabedor de antemão que a Lei do Quarto Mandamento cravada ali nas Rochas Sagradas das leis, sob um cerimonial altamente majestoso, que durou semanas e que seus anjos tocavam trombetas cada vez mais alto, poderia, então, esse Deus absolutamente Perfeito e Coerente cravar solenemente nas Rochas Sólidas um Mandamento que logo em seguida seria “lixado” por ele mesmo, por ocasião da Ressurreição do Mestre Jesus?

Tal afirmação sua não confere com a Perfeição e Coerência Divina, pois se sua declaração pudesse representar a Verdade, o Senhor Deus estaria corrompendo suas próprias decisões que, invariavelmente, têm de valer até a Consumação dos Séculos.

Vejamos a imensa confusão bíblica, se fosse possível, por conta da anulação de uma só das leis do decálogo, como assim prega o Pr. Hernandes:

1   A) O pastor Hernandes se opõem contra Deus por conta de tentar deletar do Decálogo o Quarto Mandamento, opôs-se insensata e ousadamente contra a determinação do Criador em Gêneses 2:3 pela qual instituiu  o Sétimo Dia. Lembremo-nos de que Deus NUNCA MUDA em suas Promulgações à Humanidade.

    B)  Da mesma forma, em defesa do domingo instituído pelo papado romano em 364, o pastor Hernandes se opõem contra Deus ao tentar invalidar a Verdade bíblica em Ezequiel 20:20 na qual o Senhor determinou que o Sábado Santo e Bendito foi eleito como UM SINAL ENTRE ELE E A HUMANIDADE, já que Está Escrito e bastante repetido que não Deus não faz distinção de pessoas ou raças.

   C)  Da mesma forma, ao tentar “lixar” das Rochas Sagradas das Leis o Quarto Mandamento, o pastor Hernandes se opõem contra Deus ao tentar corromper o maior evento da Terra, o do Monte Sinai, depois da redenção da Humanidade por Jesus, mas a Grandiosidade desse evento jamais possa ser corrompido.

    D)  Da mesma forma, o pastor Hernandes se opôs contra Deus, por conta de sua doutrina domingueira, quando tentou anular a Verdade bíblica em Marcos 2:28, ou seja, ele tentou anular a determinação de Jesus -- que nada mais fez que reiterar a Vontade do Pai – ao declarar que o sábado foi estabelecido por causa do homem (da Humanidade).  É possível uma tolice dessas?

    E) Da mesma forma, ao tentar a abolição do Sétimo Dia, o pastor Hernandes se opõem contra Deus ao ingressar em terrível erro ao desmerecer, ao tentar corromper, mudar o Sermão do Monte, no qual Jesus aborda, com alta firmeza e determinação que das leis de Deus Pai é impossível ao homem retirar um só til, sendo que o Mandamento do Sábado Santo e Bendito tem 405 caracteres a mais que um só til.

  F) Da mesma forma, o pastor Hernandes se opõem contra Deus ao tentar corromper uma bela profecia bíblica no Apocalipse 11:19, pela qual no Grande Dia da Volta de Jesus -- quando os Portais do Reino de Deus finalmente serão abertos aos mortais --, o Senhor Deus retirará a Arca da Aliança de seu Santuário e a exibirá a todas as nações da terra desde Adão e Eva. 

A para completar a alta importância das 10 Leis, uma multidão dos eleitos de Jesus, todos vestidos de branco, formando um coral divino, certamente acompanhados por uma orquestra de anjos celestes, cantarão o HINO DE MOISÉS. Por que Moisés será o único profeta de Deus a ser homenageado no Grande Dia de Jesus? Ora, exatamente por que ele tem tudo a ver com as Dez Leis.

“E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei dos santos”. Apocalipse 15:3

      Ora, todos sabem que a Arca da Aliança foi feita para guardar as Rochas Sagradas das 10 Leis (pois o Maná do deserto e o bastão de Arão são de menor importância) e por falar em importância, o Senhor Deus ordenou que a Arca fosse toda revestida de ouro puro, interna e externamente, maravilhosa, divina, e ainda mandou colocar sobre a Arca dois anjos de ouro com as asas abertas simbolizando a segurança e proteção para o Decálogo, mas o pastor Hernandes prefere ignorar todas as Verdades que cercam o Decálogo como absolutamente imutável e "imexível e,  por defender a anulação do Quarto Mandamento, o pastor Hernandes tenta corromper aquele grande evento divino do Monte Sinai, pois se fosse possível essa anulação do Sétimo Dia das Rochas Sagradas das Leis, o Decálogo da Arca, de acordo com a teoria do pastor Hernandes, vai ser exibido no Grande Dia de Jesus,  ALEIJADO.

Sobretudo, os domingueiros alegam que os apóstolos de Jesus e todo o povo cristão da Igreja Primitiva guardava o domingo, e nunca o sábado.  Ora, até a História Universal, a História das Raízes da Igreja os desmentem, pois o papado romano, no caso o Papa Libório  (contagem católica), no ano 364, após o resultado do Concílio de Laodicéia, decretou que todos os cristãos teriam de passar a rejeitar o sábado a favor do domingo da Ressurreição de Jesus. Para deixar bem claro a proibição a respeito, decretou, também, perseguições a todos aqueles que ousassem manter o sábado como dia santo de guarda.


 Quanto à abertura dos Portais do Reino de Deus aos homens e mulheres, ver detalhes em meu blog:


Se as leis pudessem ter sido “apagadas” por Jesus ou mesmo uma só delas, como ensina o pastor Hernandes, por que o maior dos profetas: Moisés, que tem tudo a ver com as Leis de Deus do Monte Sinai, será o único deles a ser homenageado no Grande Dia de Jesus, quando os eleitos de Cristo, vestidos de branco, solenemente cantarão o Hino de Moisés (Apocalipse 15:3)?

 Pergunto: Por que Deus Pai profetizou que vai honrar solenemente o Profeta do Decálogo frente a todas as nações da Terra - certamente desde Adão e Eva -, se o Filho tivesse “anulado as leis” ou uma só delas, como querem os fariseus? Por tudo isso, temerariamente, por conta da pretendida anulação do Quarto Mandamento, o pastor Hernandes se opõem contra Deus quando  tenta corromper mais esse evento bíblico que certamente vai acontecer.

Notou, pastor Hernandes em quantos erros bíblicos o senhor ingressou ao pretender mudar, sem consistência, o Santo Dia do Senhor para um dia comum de trabalho, na época de Jesus? Se eu estivesse em seu lugar, estaria vermelho de vergonha...

Satanás, venceu, mesmo, os santos vivos, como Está Escrito:

“E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação”. Apocalipse 13:7.   Satanás usou o papado romano, seu servo, para tentar corromper o Decálogo, e os evangélicos, na imensa maioria, ingressaram nesse ardil, corrompendo, também o mais santo dos Mandamentos.

“Todo o Monte Sinai fumegava, pois o Senhor havia descido sobre ele em fogo. A fumaça subia como fumaça de uma fornalha, e todo o Monte tremia muito. Enquanto o som das trombetas aumentava cada vez mais, Moisés falava ao Senhor e ele respondia por meio de um trovão”. Êxodo 19:18 – 19.

Pense nisso, pastor Hernandes, pois se julgar que Deus pode mudar em suas promulgações à Humanidade, desmentindo a si próprio, trata-se da maior asneira espiritual do mundo!  Uma das provas mais expressivas de que Deus nunca muda, jamais mudou suas promulgações a Adão e Eva, com fortes consequências a nós outros também, pois nem o Jesus do Amor, que se condoía, se comovia e chorava vendo o sofrimento do povo, nem assim conseguiu agir pelo menos para abrandar as dores do parto. Sabe por quê? Por que a Palavra de Deus é Eterna.

Está Escrito nas Cartas de Pedro e em Isaías que Deus nunca muda suas promulgações. Como, então, você, como também os pastores domingueiros
 pretendem fazer Deus mudar, colocando-o como um reles incoerente?

Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.  

Mas você, pastor e os demais domingueiros, em sua doutrina não bíblica agridem essa determinação do Espírito Santo de Deus, negando que a Palavra de nosso Deus subsiste eternamente.

“Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva.Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”.  1 de Pedro 1:24. 

Por tudo isso, por seu grave erro em pretender fazer o Espírito Santo de Deus mudar, bem cabe aqui a acusação de Jesus aos hipócritas e fariseus, aos quais Jesus os nomeou como FILHOS DO DIABO:

“E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”.
Jesus, em Marcos 7:9

Tenham em conta os domingueiros que Jesus não titubeou em nomear como Filhos do Diabo todos aqueles fariseus que o acusaram de violar os sábados santos. Muitíssimo cuidado em não ingressar no mesmo erro, pois o mesmo Jesus retrucou a eles que apenas APARENTAVA que violava os santos e benditos sábados de Deus Pai.

“Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.    Mas, porque vos digo a verdade, não me credes.   Quem dentre vós me convence de pecado? E se vos digo a verdade, por que não credes?   Quem é de Deus escuta as palavras de Deus; por isso vós não as escutais, porque não sois de Deus”.   João 8:44-47

“Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”.  Jesus, em João 7:23 a 24

Para completar meu pensamento, se houvesse a mínima condição de Deus Perfeito e Coerente lixar das Rochas Sagradas das Leis o seu mais amado Mandamento -- corrompendo seu próprio trabalho e a alta grandeza do evento Monte Sinai --, nomeado por ele próprio como Santo e Abençoado, e instituído como UM SINAL entre ele e nós outros, é absolutamente certo que pela sua Altíssima Perfeição, revelaria aos seus evangelistas para que registrassem, que a partir da Ressurreição de Jesus, o sábado seria literalmente lixado das Rochas Sagradas das leis. É ou não é? 

Por ser Deus Perfeito e Coerente, não tem como não ser... Se alguém julgar que sim, é um fariseu hipócrita, pois a favor de sua doutrina inventada, NEGA a Perfeição e a Coerência Divina. Por conta das afirmações do pastor Hernandes, o Senhor Deus estaria nos enrolando com respeito ao Dia do Senhor.

“Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade?  Gálatas 4:16. Detalhes completos em meu blog:


Quanto à doutrina domingueira, estudando-se o Novo Testamento com critério e atenção, concluímos facilmente que a palavra de Deus não atribui nenhum significado litúrgico ao dia da ressurreição, simplesmente porque esse acontecimento tem de ser visto apenas como uma realidade existencial experimentada pelo poder do Cristo vitorioso também sobre sua própria morte.  De modo algum a ressurreição de Jesus pode ser vista como uma prática cristã associada a culto aos domingos.  Cristo, que havia ressuscitado a outros, não poderia ser vencido pela morte, o que anula totalmente a pretendida importância do tal domingo.  Mas a Monumental Vitória de Jesus Cristo deu-se com a sua sofrida Morte na cruz, NUMA SEXTA-FEIRA!

Quem sabe eu me enganei ao pensar que muito mais importante que a Ressurreição deu-se com a Morte de Jesus,  pois ele veio para isso nos concedendo a redenção, perdida na expulsão do Paraíso?

Nobre pastor Hernandes do tal domingo, sei que não prega o Evangelho em busca do ouro, como fazem quase todos os da TV, mas com o intuito nobre de evangelizar, por isso, sabendo que não deve ser um desses filhos do Diabo, como aqueles que usam o Santo Nome do Senhor para se enriquecerem, responda-me a uma pergunta de muita importância para mostrar a Verdade de Deus quanto ao Sétimo Dia ou quanto ao tal domingo do papado romano de Satanás, que teve a ousadia de cortar os dois principais mandamentos de Deus em sua insólita doutrina:

Sabendo-se que Deus sempre esteve a falar ao seu povo através de seus profetas, mas de tanta importância que solenemente atribuiu às suas 10 leis (resumidas, mas altamente suficientes), ele, o Senhor, não o fez através de profeta algum, mas escreveu pessoalmente nas Rochas Sagradas as Leis do Decálogo, que regula as relações dos homens para com ele (4 leis), e as demais leis que regulam as relações entre a Humanidade,  e ele, o Senhor, na sua sabedoria nos deu as 10 leis  por amor à Humanidade,  pois se todos obedecessem a todas as leis do Decálogo, os seres humanos estariam a viver num mundo de sonhos: todos se respeitariam, não haveria criminosos, nem a necessidade de grades, de trancas, de polícia, de exércitos armados e de qualquer tipo de armas  e artefatos feitos para conflitos e guerras, o mundo seria muito mais saudável, não haveria pobres muito pobres, como também o Senhor Deus seria muito mais honrado e glorificado e, certamente,  a paz sobreviria sobre a Terra inteira. 
                                                                                                                                   Detalhes mais que suficientes sobre as leis de Deus, sua Alta Perfeição e Coerência, em meu blog:

 http://otratadosobreasleisdedeus.blogspot.com.br/   Se não abrir, copie o http e cole no navegador      

Nobre pastor Hernandes, basta  você tirar as vendas de seus olhos que o impedem de entender que Deus jamais poderia mudar depois de cravar suas 10 Leis nas Rochas Sagradas das Leis, num evento altamente espetacular como jamais houve no Universo (fora a Missão de Jesus)  jamais poderia voltar atrás, nem pelo fato da Ressurreição de Jesus, um fato normal ocorrido apenas pela consequência de sua morte.  

Quanto a isso, Jesus fez questão de diminuir a importância de sua ressurreição ao aparecer primeiramente, não a apóstolo algum, mas a uma ex-prostituta arrependida. Medite, raciocine, pois cortar o Sétimo Dia de Deus é afrontá-lo com alta gravidade. Saiba que o Senhor não virá a você lhe avisando que o sábado santo é “imexível”, pois isso já Está devidamente Escrito e repetido:

6)  São DEZ as citações sobre a validade do Santo Sábado de Deus no evangelho. Para inteirar-se dessa Verdade, está provado em meu blog:


Jesus nos mostra que o sábado foi criado para o homem:

“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado.  Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo de mostrar que o amor de caridade tem de sobrepor-se a toda e qualquer lei, pois é maior que a fé (1Coríntios 13:13) e, por isso, tem de sobrepor-se até mesmo ao mandamento do Sábado, pois seus amigos estavam com fome pelas longas caminhadas.  Da mesma forma e com o mesmo objetivo, Jesus citou Davi que, também com fome, ele e os seus amigos avançaram e comeram dos pães sagrados do templo, coisa proibida até para o rei, pois em ambos os casos não se poderia transferir a solução para o dia seguinte. Essa é a regra do sábado santo que valerá até a Consumação dos Séculos.

 Nesse preceito Jesus legitima o sábado mais uma vez: o sábado foi criado pelo Deus Imutável  por causa do homem e para o homem.  Portanto, enquanto existirem viventes humanos na Terra os sábados terão de ser observados, pelo menos pelos cristãos.  E inegavelmente é mais uma Verdade do Senhor Deus que não pode ser contestada por ninguém, e de modo algum!

Vejamos o papado romano de Satanás “regendo” a respeito do tal domingo, em que confessa seu grande pecado e hipocrisia ao tentar mudar uma Verdade de Deus:

Não o Criador do Universo, em Gênesis 2, mas a Igreja Católica pode reivindicar para si a honra de haver outorgado ao homem um repouso a cada sete dias. Storia della Domenica, S.D. Mosna, de 1969, pg. 366.

 “A Igreja de Deus, porém, achou conveniente transferir para o domingo a solene celebração do sábado”. Catecismo católico, Edição 2, Editora Vozes, Petrópolis, RJ. 1962.

 “É melhor buscar refúgio no Senhor, que confiar nos homens”. Salmos 118:8

Nobre pastor, como você pode ignorar essas cristalinas verdades bíblicas a favor de sua doutrina? Não tem nexo algum, pois como a maioria dos pastores evangélicos para “substituir” o sábado de Deus pelo domingo do papado romano de Satanás, você deve ter bloqueado a sua mente e anestesiado a sua consciência para tentar se enganar, pois queira você ou não, o sábado valerá até a Consumação dos Séculos.  

Dentro de meu conhecimento bíblico, de minhas longas meditações e demoradas fases de raciocínio, reforçado pelo fato de que todas as noites eu peço a maior sabedoria possível que o Senhor possa conceder a um mortal, promessa essa feita por ele mesmo, só um dito cristão com falsa sabedoria poderá imaginar que Deus “arrependeu-se” de ter cravado nas Rochas Sagradas das Leis o seu mais amado Mandamento: o Quarto, o único instituído na Criação do Universo e o único eleito por ele como um Sinal entre ele e a Humanidade, e o único nomeado por ele como SANTO E BENDITO.

Se o Pr. Hernandes não sabe, eu digo que O QUE O SENHOR ABENÇOA É PARA SEMPRE!

“Se alguém desejar sabedoria, peça ao Senhor que a concede liberalmente a todos os que pedirem. Mas peça-a com  fé,  sem nenhuma  vacilação, porque o homem que vacila  assemelha-se  à onda do mar levantada pelo vento e agitada de um lado a outro.  Não pense, portanto, que tal homem (ou mulher) alcançará coisa alguma do Senhor, pois é um homem inconstante em todo o seu proceder”.  Promessa e advertência do Senhor,  em Tiago,  1.5 e 6.

Não podemos nos esquecer que o Decálogo será ressaltado de modo ostensivo e magnificamente no Grande Dia de Jesus, pois a Arca da Aliança será retirada do Santuário de Deus e exibida ao mundo inteiro, como também Moisés será coroado de glórias, pois os eleitos de Deus cantarão o Hino de Moisés. Apocalipse 15:3.

Tanto a Arca quanto Moisés tem tudo a ver com o Decálogo, não o Decálogo aleijado pela maioria dos evangélicos, mas o que contém TODAS AS LEIS DAS ROCHA SAGRADAS, em cada til e em cada caractere, segundo Jesus Cristo em Mateus 5:17 a 37.

“Abriu-se, então, o Santuário de Deus, que se acha no Céu, e apareceu a Arca da Aliança, e sobrevieram relâmpagos, vozes, terremotos, trovões e grande saraivada”. Apocalipse, 11.19.

De tão importantes que são as Dez Leis, estão especialmente guardadas dentro do próprio Santuário de Deus e vai aparecer a todos os viventes na Vinda de Jesus, e a todos os povos desde Adão e Eva, conforme o Apocalipse. De tão importante que foi Moisés, ele foi o único profeta que vai ser honrado no Grande Dia de Jesus:

“...e entoavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e admiráveis são as tuas obras, Senhor Deus, Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações!”. Apocalipse, 15.3.

Então, eu mostrei e provei que as Dez Leis, todas elas, em cada letra e em cada caractere, inclusive a Lei do Sábado Santo e Abençoado que tem 433 caracteres, todas as leis do Decálogo têm características perpétuas e invioláveis até o Grande Dia da Volta de Jesus, que por elas seremos julgados como também pelas boas obras que realizarmos pelo amor dos semelhantes, principalmente dos mais carentes, tanto material, como espiritualmente, pois Está Escrito que aquele que tira um irmão do erro, apagará de si uma multidão de pecados:

“Sabei que aquele que converter a um pecador de seu caminho errado, salvará a sua alma da morte dele e cobrirá uma multidão de pecados”.  Tiago, 5.20.


Waldecy Antonio  Simões      walasi@uol.com.br

Livre para publicações, desde que não se alterem os textos.


Meus blogs:












































                                                          


























































 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43